Hoje a resenha é sobre o livro "Só os animais salvam" de Ceridwen Dovey

O livro faz parte da linha DarkLove da Editora DarkSide Books e já fiquei super, mega interessada, porque amo os animais. E ter um livro que fala na perspectiva deles o que nós humanos fazemos ou como os tratamos é ao mesmo tempo interessante e aterrorizante.

Só os Animais Salvam

Eu pensei muito antes de escrever a resenha, porque o nível de sensibilidade desse livro nos faz refletir ao final de cada conto. Ainda estou em CHOQUE! Essa é uma das palavras que define o meu sentimento e pensamento ao finalizar o livro.
O que os separa é seu talento para o masoquismo. É aí que reside seu poder. Ter prazer na dor, tirar forças da privação, isso é ser humano. Alma de Chimpanzé
O livro é narrado pelas almas dos animais em dez contos diferentes e cada um falará de sua vida e morte. O mais interessante é que o livro está em ordem cronológica por ano e acontecimento importante dentro daquele ano, como a Primeira e Segunda Guerra Mundial, Guerra de Moçambique, Guerra da Bósnia e do Iraque, entre outros acontecimentos nesse meio que faz com que analisamos de outra maneira, como nós, humanos lidamos com a utilização do animal como cobaia para o nosso bel prazer. 

Temos contos de alguns animais comuns como a Gata, o Cachorro, o Chimpanzé, o Elefante, o Papagaio e os Golfinhos e uns que podem não ser tão comuns como os Mexilhões, o Camelo, a Tartaruga e o Urso. 
Havia me prometido que se eu fizesse o que exigia, não comendo carne, resistindo à tentação de caçar raposas, e se tentasse meditar uma vez por dia, eu poderia reencarnar como  um ser humano na próxima vida. Um ser humano! A ideia era excitante. Alma de Cachorro
Cada um relata, sob seu ponto de vista, o drama do amor, do apego, do abandono, do ato de lidar em um front de Guerra, do medo, do pavor, da angústia de sentir como é estar próximo a morte e do sentimento de libertação que se define em alguns contos. 

Alguns contos chamam a atenção pelas pessoas que cruzam ou que convivem com esses animais como no conto da Gata, que fala de seu amor e decepção por Gabrielle Colette, a famosa escritora francesa. O conto do Cachorro que vivenciou a Segunda Guerra Mundial, as Elefoas que eram gêmeas e morreram de uma forma tão tão tão linda, que fiquei um dia refletindo. Da Tartaruga que viveu com os Toltóis por um bom tempo (tartaruga vive muitos anos) e também teve contato com o George Orwell o autor de "A Revolução dos Bichos" até ir ao espaço, como cobaia. O conto dos Golfinhos, que viveram para servir a Marinha Americana, amavam seus instrutores e tiveram um papel super importante para a história até hoje. Outro conto que me fez refletir e chorar foi o do Papagaio. Gente, esse papagaio viveu os ataques de uma Guerra. E o desespero dele nos faz refletir, o que nós somos? Animais que deveriam ser racionais mas que em alguns momentos não nos comportamos como tal. 

Eu amei muitos contos, mas os que mais mexeram comigo foi o do Cachorro (vegetariano que não consegue manter seus conceitos ao se deparar com o abandono e a miséria), o da Tartaruga (a morte mais linda), o do Elefante (os laços das elefoas com a sua família), do Golfinho (lição de amor e força da fêmea golfinho, mesmo tendo que lidar com as adversidades de uma Guerra) e o do Papagaio (a mais triste de todas para mim). Porém todos, todos são muito bons!
É pior ter liberdade e perdê-la ou nunca saber o que é ser livre? Não posso dizer que sentia sua falta. Alma de Golfinho
O livro é um tapa na nossa cara! A forma como lidamos e entendemos a história de cada bichinho, nos faz ver que somos piores do que imaginamos. O que posso dizer é que esse livro me fez ficar alguns dias analisando sobre nosso comportamento e as nossas ações que levam a prejudicar um animal que muitas vezes não escolhem onde devem estar e o que farão. Esse é o caso dos animais que participavam e ainda participam das Guerras e muitas vezes não sabem pelo que vão passar, são meras vítimas de nós, humanos!

Eu fiquei alguns dias sensibilizada até escrever essa resenha, porque esse livro mexeu demais comigo. Eu amei todos os contos, uns eu gostei mais e outros também gostei, mas o que me deixou mais triste e mais reflexiva foi o do Papagaio. Nossa, até sonhei com ele acreditam?! 

Ceridwen escreve de uma maneira leve, apesar de não ser um livro leve, que nos faz devorá-lo em pouquíssimos dias. Eu tiro o chapéu para ela e já virei sua fã. E uma curiosidade intressante é que para escrever os contos ela se inspirou em alguns livros, trechos e até mesmo personagens famosos da história e da literatura. 
Ela ainda não sabia da piada conhecida nas lojas de animais sobre os papagaios: você não é dono de um, eles que são seus donos. Alma de Papagaio. 
Eu amei o livro, amei todos os contos! É um livro que tem ser levado para a vida, estar na sua cabeceira e ser lido pelo menos uma vez por ano, de novo! 

Você ainda não leu? Pelo amor de Deus, vá ler e depois vem me contar o que achou!

*Livro cedido pela Editora 


Título: Só os animais salvam
Autor: Ceridwen Dovey
Editora: DarkSide Books
Páginas: 240
Sinopse: Nós, humanos, nos achamos o máximo. Mas o que temos feito com o nosso mundo? "Só os Animais Salvam" é um livro que tenta responder a essa pergunta de maneira inusitada. Cada um de seus contos é uma fábula moderna, narrada por um bicho diferente, vítima de uma de nossas incontáveis guerras. Em meio ao caos, os animais conseguem encontrar esperança e inspiração numa das atividades mais significativas que nossa espécie já criou: a literatura. Ceridwen Dovey reúne fragmentos e personagens da obra de escritores imortais e nos faz sonhar o sonho dos inocentes. Só os animais salvam.


Deixe um comentário