13 de novembro de 2018

{Resenha} Leve-me com você

Hoje a resenha é sobre o livro "Leve-me com você" de Catherine Ryan Hyde.

Eu já havia comprado esse livro fazia um tempão, mas quando a Clau do Blog Mãe Literatura me convidou para participar do Clube de Leitura da Dark Love conjuntamente com a Editora DarkSide Books, fiquei muito feliz e pude concluir essa leitura delícia.


A história gira em torno de August Shroeder, que resolve pegar o moto home dele e viajar de férias. August é um alcoolista em recuperação e vai viajar justamente para deixar as cinzas de seu filho Philip em um parque nacional, no qual os dois tinham vontade de conhecer. No meio do caminho seu trailer quebra e August acaba parando em uma oficina que poderá mudar o destino da sua vida. 

Ele conhece duas crianças, Seth e Henry, e eles acabam embarcando junto com August nessa viagem. Seth é um menino de 11 anos curioso e seu irmão por outro lado é mais introvertido, com seus 7 anos.  Tendo um pai condenado a prisão, os meninos terão que ficar 3 meses com August e os três acabam passando por situações que fará com que essa amizade cresça de uma forma única e duradoura. 

A leitura é fluída e faz com que você entenda o porquê os meninos se afeiçoam tanto a um estranho. August fala de uma maneira firme mas ao mesmo tempo sutil com os meninos e eles acabam o aceitando do jeito que ele é. E mesmo ao longo da viagem, que ele tem que parar para ir as reuniões do Alcoólicos Anônimos (AA), Seth com a sua curiosidade, acaba o acompanhando em algumas. 

O livro é intenso, mas não me fez chorar. Muitas pessoas se emocionaram bastante na leitura. Ele é bonito e de uma maneira sutil Catherine nos mostra a readaptação de uma pessoa com um vício e como fazer para se manter na sociedade mesmo com as tentações que aparecem no caminho. 

Outra pessoa importante no livro para August é o seu padrinho do AA , que em dado momento ele pensa em ficar com os meninos, mas o padrinho está lá para trazê-lo para a realidade e mostrar que os meninos tem um alguém esperando por eles também. 

Catherine nos faz pensar no sentido da família, o que um vício pode fazer com esse elo de amor e como fazemos para perdoar mesmo os que podem algum dia nos machucar. É um livro intenso, doce e cativante. Se prepare que você pode chorar em algumas cenas, mas o importante é que essa jornada fará com que você abre seu coração para o desconhecido e deixe entrar esses personagens fofos para mantê-lo aquecido.

E se você for de São Paulo e quiser participar do Clube, entre em contato com a Clau do Mãe Literatura. Vamos ler "O diário de Myriam". 

Vem embarcar nessa viagem fofa sem volta.  

Título: Leve-me com você
Autor: Catherine Ryan Hyde
Editora: DarkSide Books
Páginas: 336
SinopseAugust Shroeder é um professor de ciências desacreditado e um alcoólatra em recuperação. Todos os anos, seu destino nas férias de verão é o mesmo: a estrada. Em seu trailer, ele percorre quilômetros e mais quilômetros nas rodovias para visitar os belíssimos parques e reservas naturais. Seu plano era visitar o Parque Nacional Yellowstone com seu filho, Phillip, mas agora não há ninguém no banco do passageiro — apenas um punhado de cinzas guardado no porta-luvas, em uma garrafa de chá carregada de significado. 
Quando o trailer quebra, August busca conserto na oficina mais próxima. Mas, além do motor home pronto para seguir viagem, ele sai de lá com dois garotos a tiracolo — seus novos companheiros nessa road trip — e a chance de repaginar uma viagem que tinha tudo para ser melancólica e permeada por lembranças doloridas.
É com a sensibilidade e o encanto que se tornou marca registrada dos livros da linha DarkLove que Catherine Ryan Hyde fala sobre honestidade, luto, perdas, conquistas e transformações, desatando nós nos corações dos leitores e curando feridas que ninguém imaginava ter. 
Com sua voz poderosa, que já emocionou milhares de leitores pelo mundo, traz à tona uma discussão sobre a imprevisibilidade da vida e como família nem sempre significa dividir o mesmo sangue.

1 de novembro de 2018

{Resenha} O Rei e o Príncipe

Hoje a resenha é sobre o quadrinho "O Rei e o Príncipe" de Fábio Paiva e Rhebeca Morais.

Recebi esse livro do próprio Fábio e já o achei uma graça. 

O Rei recebe a visita do príncipe e fica muito feliz. Só que o que o Rei achava que seria uma visita permanente, não é. O príncipe decide ir para outro lugar, fica triste mas consegue trilhar seu caminho sem pensar em olhar para trás. O diálogo entre pai e filho é interessante e ao mesmo tempo comovente. 

Baseado na história do Pequeno Príncipe, o quadrinho revive a ida do príncipe ao reino e a tristeza do Rei por não permanecer com ele.  

As ilustrações são de uma lindeza e a leitura é bem fluída. Gostei bastante do quadrinho e ele é super indicado para leitura com as crianças também. 

Então vem embarcar nessa aventura!

Se quiser adquirir o quadrinho clique aqui!.


Título: O Rei e o Príncipe
Autor: Fábio Paiva e Rhebeca Morais
Editora: Usina Coletiva
Páginas: 24
Sinopse: O Rei e o Príncipe é um quadrinho que faz uma releitura do encontro do Pequeno Príncipe com o Rei do meteoro; Um diálogo entre pai e filho inspirado na história clássica de Antoine-Sant Exupéry, em 24 páginas coloridas, formato A5, com roteiro de Fábio Paiva e arte de Rhebeca Morais (@rhebedraws).

19 de outubro de 2018

{Resenha} O pavilhão dos padres

Hoje a resenha é sobre o livro "O pavilhão dos padres" de Guillaume Zeller.


Quando saiu o livro, eu já fiquei bem curiosa para lê-lo, e não só por trazer uma época conturbada, que foi a passagem de Hitler, mas como também por se tratar de um livro com padres, que sofreram na mão dos nazistas.

Os religiosos eram detidos por várias razões. Dachau era apenas um dos lugares de detenção desses sacerdotes e ficou conhecido como o mais famoso, na época.

Alguns dos motivos usados para a detenção desses sacerdotes eram: conduta prejudicial aos interesses do Estado, exercício do encargo de cura, exercício ilícito do encargo de cura junto a estrangeiros, acolhimento de desertores, amigo dos judeus, recusa da saudação hitlerista, protesto contra a lei do casamento promulgada pelo Estado, inimigo eterno da Alemanha.


Podemos observar que os motivos eram torpes. E o maior objetivo de Dachau era neutralizar os elementos indesejáveis pelo regime nazista.
Ao longo dos anos, entre 1938 e 1945, passaram por Dachau 2720 sacerdotes. Destes, 1240 sobreviveram.

Eles passaram por muitas privações, e os que sobreviveram não gostam de lembrar do que foram esses anos, de violência, fome, doenças e muita muita tortura.

Ao ler o livro, entramos no Universo desses religiosos e do quanto eles sofreram até o fim, com a saída ou a morte. Muitos não sabiam ao certo o porque estavam apanhando ou até mesmo passando fome. Tentavam ajudar uns ao outros para minimizar o sofrimento causado pelos nazistas dentro do campo e essas orações conjunta serviam para uni-los.

O livro é denso, mas a leitura é fluida, e você acaba se envolvendo na história. É um livro para você pensar e analisar, a tortura, o sofrimento e a prisão não é a melhor escolha para tentar se combater algo com que eu não concordo. Hoje conseguimos conversar e entender,  o ponto do outro e o sofrimento, mas os tempos estão difíceis e esse tipo de leitura serve justamente para que possamos abrir os nossos olhos ao que não queremos de fato.

Eu recomendo a leitura, para que possamos voltar na história e entender que regredir não é o melhor caminho.

Título: O pavilhão dos padres
Autor: Guillaume Zeller
Editora: Contexto
Páginas: 240
Sinopse: De 1938 a 1945, 2720 padres, religiosos e seminaristas são deportados para o campo de concentração de Dachau. Reunidos em Blocks específicos – que ficarão conhecidos pelo nome “pavilhões dos padres” –, 1034 deles deixarão suas vidas ali. Mais de 70 anos depois de sua liberação, o campo de concentração de Dachau permanece o maior cemitério de padres católicos do mundo.
Com religiosos oriundos de diversos países, a “universalidade da Igreja” se torna palpável no campo de Dachau. Jogados em uma situação de sofrimento profundo, como todos os confinados em campos de concentração na época, esses religiosos são obrigados a enfrentar a fome, o frio, as doenças, o trabalho forçado, as torturas da SS, as experiências médicas, as mortes dos companheiros – o que coloca à prova sua fé. Tentando sobreviver a tudo isso, os padres procuram manter intacta a vida espiritual e sacerdotal (uma capela, inclusive – a única autorizada nos campos no período –, lhes oferece um pequeno alento).
Neste livro, o jornalista francês Guillaume Zeller reconta em detalhes as agruras e aflições vividas por esses religiosos durante o nazismo, jogando luz em um dos períodos mais tristes da História.

15 de outubro de 2018

{Resenha} Nimona

Hoje a resenha é sobre a graphic novel "Nimona" de Noelle Stevenson.


Eu percorri a bienal inteira para conseguir achar esse HQ e não consegui, tive que comprá-lo pela internet porque estava louca para ler e não me arrependi nem um pouco. 

Nimona é uma metamorfa que pede para ficar e acompanhar o trabalho de Lorde Ballister, o maior vilão que já existiu. O sonho da menina era ser sua estagiária e poder ajudá-lo com as suas "maldades". 

Ballister é um vilão que tenta sempre arquitetar planos contra seu arqui-inimigo e antigo ex-amigo Sir Ambrosius Ouropelvis, ao mesmo tempo lidar com o jeito de Nimona, que tenta o ajudar, mas que acaba o colocando em sérios apuros dentro do reino. 

Nimona é aquela criança sem papas na língua. Sofreu na infância por ser metamorfa e está tentando lidar com seus poderes. Ela sabe que consegue ajudar Ballister, mas a sua teimosia pode colocar tudo a perder. 

A HQ é surpreendente, a cada página você fica mais entretido para saber o que vai acontecer com os personagens e como a história vai se desenvolver. Eu fiquei bem empolgada com o quadrinho. Os desenhos incríveis nos transporta para o reino e nos coloca frente aos inimigos de Nimona também. A menina tem uma carisma que não tem como gostar dela no primeiro momento. .

Os desenhos também estão incríveis e conseguimos identificar de forma bem clara lembranças dos personagens e momento atual. Achei muito interessante a forma como foi desenhada. 

Não tem como não gostar dessa Graphic. Se você está em dúvida no que ler, super indico Nimona. Além disso é uma leitura bem fluída e bem gostosa. Eu li super rápido. 

Então está esperando o que para ler esse hq? Vem embarcar nessa aventura com essa metaforma que vai deixar seu cabelo em pé. 


Título: Nimona
Autor: Noelle Stevenson
Editora: Intrínseca
Páginas: 272
Sinopse: Nimona é uma metamorfa sem limites nem papas na língua, cujo maior sonho é ser comparsa de Lorde Ballister Coração-Negro, o maior vilão que já existiu. Mas ela não sabia que seu herói possuía escrúpulos. Menos ainda uma deliberada missão.
Até conhecer Nimona, Ballister fazia planos que jamais davam certo. Felizmente, a garota tem muitas sugestões para reverter esse quadro. Infelizmente, a maioria envolve explosões, sangue e mortes. Agora, Coração-Negro não só tem que enfrentar seu arqui-inimigo e ex-amigo, o célebre e heroico Sir Ambrosius Ouropelvis, mas também impedir que a fiel comparsa destrua todo o reino ao tentar ajudá-lo. 
Uma história subversiva e irreverente que mistura magia, ciência, ação e muito humor sobre camadas e mais camadas de reflexão – entre uma batalha e outra, é claro.

7 de outubro de 2018

{Resenha} A dama da Meia-Noite

Hoje a resenha é sobre o livro "A dama da meia-noite" de Tessa Dare.


Eu li a sinopse desse livro e já me interessei de cara. Apesar de estar dentro da Série Spindle Cove, sendo esse o terceiro, eles não são sequências e o leitor consegue ler de forma aleatória sem problemas.

Kate Taylor é uma professora de piano que se vê para a titia, por não ter uma família e nem como saber de que família pertence. A única coisa que ela tem é uma marca cor de vinho no rosto que a lembra de que ela não é perfeita e tão bonita como as outras mulheres de Spindle Cove.

Kate se vê mais perdida, ao tentar descobrir algo de seu passado com uma ex-professora e a mesma a maltrata. Na rua e sem ter como voltar para casa, ela acaba aceitando a carona de um misterioso morador de Spindle Cove, Cabo Thorne.

Mal sabe ela, que Thorne pode até ser mal encarado mas ele não vê tão indiferente assim e quando Kate descobre que pode ter sido filha de um Conde, o mundo dá tantas voltas, mas ela só pensa e só esta no início de uma intensa relação de amizade, afeto e amor com esse homem misterioso.

O livro tem um tom de romance, mas eu só comecei a gostar e me envolver de fato do meio para o final.

Achei a protagonista um tanto chatinha, mas ainda assim quem para mim rouba todas as cenas é o Cabo Thorne. Um homem que é meio grosseiro e muito sério, mas que tenta defendê-la de todos que pensam em fazer mal a ela.

Outro ponto para ressaltar e que me fez falta, foram de personagens secundários mais
Para quem gosta de romance leve e com uma pitada de drama, esse é a pedida.


Título: A dama da meia-noite
Autor: Tessa Dare
Editora: Gutenberg
Páginas: 288
Sinopse: Após anos lutando por sua vida, a doce professora de piano, Srta. Kate Taylor, encontrou um lar e amizades eternas em Spindle Cove. Mas seu coração nunca parou de buscar desesperadamente a verdade sobre o seu passado. Em seu rosto, uma mancha cor-de-vinho é a única marca que ela possui de seu nascimento. Não há documentos, pistas, e nem ao menos lembranças

Depois de uma visita desanimadora para sua ex-professora, que se recusa a dizer qualquer coisa para Kate, ela conta apenas com a bondade de um morador de Spindle Cove, o misterioso, frio e brutalmente lindo, Cabo Thorne, para voltar para casa em segurança. Embora Kate inicialmente sinta-se intimidada por sua escolta, uma atração mútua faísca entre os dois durante a viagem. Ao chegar de volta à pensão onde mora, Kate fica surpresa ao encontrar um grupo de aristocratas que afirma ser sua família.

Extremamente desconfiado, Thorne propõe um noivado fictício à Kate, permitindo-lhe ficar ao seu lado para protegê-la e descobrir as reais intenções daquela família. Mas o noivado falso traz à tona sentimentos genuínos, assim como respostas às perguntas de Kate.

Acostumado com combates e campos de batalhas, Thorne se vê na pior guerra que poderia imaginar. Ele guarda um segredo sobre Kate e fará de tudo para protegê-la de qualquer mal que se atreva atravessar seu caminho, seja uma suposta família oportunista ou até ele mesmo.

/

© Copyright 2017 - Embarcando na Leitura. Todos os direitos reservados