Hoje a resenha é sobre o livro "Somos Guerreiras" de Glennon Doyle Melton

Eu recebi esse livro na Sessão Intrínseca e fiquei bem interessada pela história por ser um livro de memórias.

Sim, a autora contou a sua vida de uma forma que nos faz repensar muitas coisas.

Glennon é aquela típica menina que mora em um lugar bom e tem uma família que a ama muito. Aos dez anos de idade ela questiona a sua vida, por se achar gordinha, acredita que seria mais feliz se fosse magra, bonita e chamasse a atenção na escola. E sentada no sofá em um belo dia, presenciou na televisão uma moça que comeu tudo que tinha vontade e depois foi ao banheiro e vomitou toda aquela comida. No rosto da moça da TV Glennon viu satisfação e um pequeno vislumbre de felicidade, e a partir daí que a autora se tornou bulímica. E foram anos e anos comendo e vomitando, e com isso vieram as amizades mais importantes na escola, os namorados, a pseudo felicidade por conseguir comer de tudo, mas não na frente dos outros.

Glennon passou pelo ensino médio e conheceu o prazer que o álcool exercia sobre sua vida. Já na faculdade bebia para esquecer e conseguir se envolver sexualmente com seu namorado. Passou os anos da faculdade assim, vomitando e bebendo tudo que tinha ingerido, dormia e acordava e assim via os anos passando. Alcolista, bulímica, porém magra e linda. Esse era o preço para se manter na sociedade.

Em um feriado, estava aproveitando com as amigas e avistou Craig, no qual já havia gostado ainda quando morava com os pais. Os dois começaram a sair.  E entre várias questões, choros e descobertas eles se casam.
Anos depois de casados, Glennon descobre que o marido sempre a traiu e hoje está tentando reparar o seu erro. Tentar deixar para trás os erros e reparar a sua vida para viver melhor é uma questão que ela descobrirá ao decorrer dos anos e isso torna a leitura muito fluida e ao mesmo tempo emocionante.

A autora trás de uma maneira honesta e clara seus medos, vícios e receios. Glennon via sua vida ir para o bueiro, mas a falta de amor próprio e o desejo de manter o padrão de beleza que a sociedade cobra tanto, faz com que ela tenha recaídas e não consiga andar sozinha.

O sexo entre seus parceiros também é um tabu e no decorrer da leitura, conseguimos entender porque ela não gostava de se relacionar ou fazia por obrigação. E olha, que nessa parte eu realmente fiquei bem chocada e ao mesmo tempo surpresa.

A bulimia fez parte da vida dela desde pequena, imagina o sofrimento de uma criança, com dez anos que vomitava, comia, vomitava, comia... esse era um círculo vicioso e sozinha ela não conseguia se libertar. Os pais a ajudaram bastante nessa fase. Foram anos de terapia, só que o que faltava na Glennon era amor próprio, auto estima, que ela não tinha e isso fazia com que ela sempre tivesse recaídas.

E hoje nós temos que refletir sobre o que é "padrão de beleza"? Porque não conseguimos nos aceitar do jeito que somos? O que nos falta para que sejamos momentaneamente felizes? São questionamentos que eu mesma me faço e deixo para vocês como reflexão. 

O livro me passou que fazer as coisas que tem vontade, dançar, cantar e pular, ter amor próprio, ser dona de si, ser mulher, ser amiga e ser guerreira é o que importa. Leiam o livro e conheçam a linda história da Glennon, vocês não irão se arrepender. 


Título: Somos Guerreiras
Autor: Glennon Doyle Melton
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Sinopse:Um marido lindo e atencioso, filhos encantadores, o reconhecimento pelo sucesso profissional. O que mais Glennon poderia querer? A resposta é: mais, muito mais. Ela queria não ter tantas dúvidas, queria se comunicar melhor com o marido, queria apagar de sua história a bulimia e o alcoolismo, queria se encaixar nos padrões... queria que o marido não a tivesse traído e que o casamento não tivesse se revelado uma tábua de salvação tão fracassada. 
Mas o que parece a maior das tragédias, acaba se tornando a grande chance de Glennon. A crise conjugal traz à tona seus velhos demônios e a obriga, pela primeira vez, a encarar francamente as questões que antes foram apenas sublimadas. Enquanto todos cobram dela uma decisão sobre o possível divórcio, Glennon se volta para si mesma em busca da própria voz: não a da jovem perfeita que ela um dia quis ser, não a da esposa cujo relacionamento fracassou, não a da mãe abnegada, mas, sim, a voz da mulher de verdade que sempre existiu por trás de todos esses papéis.
Glennon Doyle Melton é a mulher que talvez você conheça, a vizinha, a colega, a irmã de um amigo. Talvez seja você. Somos guerreiras revela não só a história de Glennon, mas a guerra diária travada pela mulher que busca simplesmente ser quem ela é — um relato corajoso que chama a atenção para o fato de que nascer mulher e existir plenamente é quase um ato revolucionário.



Olá Pessoal,

Hoje vou falar um pouco sobre o Mochilão da Record versão 2017. Em seu terceiro ano consecutivo o Mochilão faz sucesso por onde passa, começou na última sexta-feira (21/04/2017), uma turnê por diversos estados do Brasil para apresentar os destaques entre os lançamentos da editora para o segundo semestre. 

A imagem pode conter: texto

Esse ano o Mochilão passará por 13 cidades do país. Nos eventos, a equipe de marketing do grupo apresenta capas, conta sinopses, distribui brindes e muito mais. 
Confira se sua cidade está no mapa e qual a data do Mochilão em sua cidade. 


21/04 – Belo Horizonte – bit.ly/Mochilao2017BeloHorizonte
22/04 – Porto Alegre – bit.ly/Mochilao2017PortoAlegre
28/04 – Natal – bit.ly/Mochilao2017Natal
29/04 – João Pessoa – bit.ly/Mochilao2017JoãoPessoa
30/04 – Recife – bit.ly/Mochilao2017Recife
01/05 – Salvador – bit.ly/Mochilao2017Salvador
06/05 – Brasília – bit.ly/Mochilao2017Brasilia
07/05 – Goiânia – bit.ly/Mochilao2017Goiania
13/05 – Rio de Janeiro – bit.ly/Mochilao2017RJ19/05 – São Luís
20/05 – Belém
21/05 – Manaus
03/06 - São Paulo - https://www.facebook.com/events/1519865001371507/

Em São Paulo, o evento foi adiado para o final de maio, e assim como o ano passado, seremos os últimos. Irá acontecer na Saraiva do Shopping Center Norte. Confira as regras do evento para não perder a data e nem o horário. 
[REGRAS DO EVENTO]
- Capacidade: 200 pessoas;
- Distribuição de 200 senhas começa às 13h;
- Haverá uma segunda sessão às 16h caso forme público mínimo de pessoas (40% da capacidade do local) até o início da primeira sessão. A distribuição de senhas da segunda sessão será feita logo após as senhas da primeira sessão esgotarem; 
- O evento é gratuito e, por questões de segurança, está sujeito à lotação do espaço;
- Restrição de 1 senha pessoal e intransferível.
E aí gente, quem vamos? Eu já estou contando os dias para participar desse mega evento!


Hoje a resenha é sobre o livro infantil "Brincadeira de muitos nomes" de Gabriella A. Samôr Poggiali Gasparoni


Eu recebi esse livro lindo da Gabriella e fico feliz em resenhá-lo.

O livro é separado em pequenas histórias que faz com que a criança tenha a imaginação e consiga utilizar para brincar.

É muito simples a leitura e as nossas crianças irão adorar.

No final das páginas, temos algumas brincadeiras que podem ser feitas juntos com nossas crianças.

Eu gostei bastante do livro, ele é curto e super fácil. Indico para todas as crianças e para os pais também, pois incentivar a leitura desde pequeno auxilia no desenvolvimento dos nossos pequenos.

*Livro cedido pela autora.



Título: Brincadeira de muitos nomes
Autor: Gabriella A. Samôr Poggiali Gasparoni
Editora: Clube de Autores
Páginas: 20
Sinopse: Em algum lugar dentro da casa.... uma grande e divertida brincadeira está acontecendo!!! Você sabe o que é??? Venha descobrir e se divertir em Brincadeiras de muitos nomes!!!


Hoje a resenha é sobre o livro "1964 - História do Regime Militar Brasileiro" de Marcos Napolitano.

Eu sou uma pessoa, uma leitora acima de tudo, que ama saber história e sendo a do seu próprio país, aí que fico alucinada mesmo.
Esse é um livro histórico, que conta relatos de tudo que a sociedade viveu desde o golpe militar em 1964 até as eleições diretas, que puderam eleger um presidente em 1985.

Jango, como era carinhosamente chamado João Goulart estava tentando organizar a economia do país, diminuir a inflação e ao mesmo tempo manter os direitos dos trabalhadores, pelo qual Getúlio lutou tanto. Ele não contava com a oposição que cairia matando em cima dele e faria com que ele fosse mal visto pela sociedade elitista de direita, imprensa e quase todos os jornais que ficaram totalmente contra o presidente.
A própria fragilidade de sua liderança, conforme esta visão, seria uma ameaça à estabilidade política e social. O único jornal que continuava fiel ao trabalhismo e ao reformismo era o Última Hora. 
Castelo Branco assumiu e foi o principal construtor do regime autoritário. Em seu "governo" foram editados 4 Atos Institucionais, a Lei da Imprensa e a nova Constituição, que selava o princípio de segurança nacional. 
O principal objetivo dos Atos era o reforço legal do Poder Executivo, e particularmente da Presidência da República, dentro do sistema político. 
Nesse meio tempo, nasce a Música Popular Brasileira como forma de grito contra a ditadura. Muitos músicos contrários a ditadura foram exilados. E muitas músicas censuradas nesse tempo. 
O Ato Institucional nº 5, promulgado em 1968, foi considerado um "golpe dentro do  golpe", fazendo com que a repressão se tornasse mais direta e ampla. 
Em meados dos anos 70, governo Médici, os anos se tornaram de chumbo. A censura e a repressão se tornaram mais evidentes e muitos militantes contra os militares foram presos, torturados e mortos.  
Entre 1969 e 1979, quando a censura foi mais rigorosa, o teatro foi uma das áreas mais afetadas, e, como já dissemos, não precisou esperar o AI-5 para sofrer os rigores da censura. 
O que começou a quebrar o comando do Governo foram as passeatas populares, que chegaram a levar milhares nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. 
As Diretas Já vieram com força para acabar com o militarismo e implantar as eleições diretas para Presidente da República. 

Em 15 de janeiro de 1985 Tancredo derrotou Paulo Maluf no colégio eleitoral. Antes da posse, em março, Tancredo passou mal, foi hospitalizado e faleceu em 21 de abril de 1985. José Sarney assumiu a Presidência, como vice-presidente, e trouxe para o Brasil novos tempos, que foi intitulado como Nova República. 
O livro é rico em detalhes, e o autor de uma forma genial, nos traz como foi difícil esse período para o país. Visto como ideal no início, a economia e a inflação não melhoram e muitos morreram tentando lutar por algo melhor, pela diminuição da repressão e pela liberdade de expressão. 

Foi uma época difícil e o povo se ergueu e foi para as ruas. Hoje analisando o país vejo que temos muito em comum, porém o gigante não acordou ainda e temo que, respirando por meio de aparelhos, não sobrevivamos. 

O livro é muito bom, eu amei e indico de olhos fechados. Espero que todos leiam, que vire leitura obrigatória nas escolas e que pais leiam e coloquem em suas cabeceiras de cama, para que nunca voltemos a esse tempo de dor, guerra e repressão que foi a Ditadura Militar em nosso país. 

*Livro cedido em Parceria com a Editora. 



Título: 1964 - História do Regime Militar Brasileiro
Autor: Marcos Napolitano
Editora: Contexto
Páginas: 368
Sinopse: Exatos cinquenta anos atrás, o Brasil mergulhou em uma ditadura que iria perdurar por mais de duas décadas. É chegado o momento de fazer um balanço histórico do regime militar. Marcos Napolitano, conhecido historiador da USP, discute neste livro sólido e bem escrito as principais questões desses “anos de chumbo”. 
A ditadura durou muito graças ao apoio da sociedade civil, anestesiada pelo “milagre” econômico? Foi Geisel, com a ajuda de Golbery, o pai da abertura, ou foi a sociedade quem derrubou os militares do poder? Como era o dia a dia das pessoas durante o regime militar? Como a cultura aflorou naquele momento? O que aconteceu com a oposição e como ela se reergueu? Qual a reação da sociedade (e do governo) à tortura e ao “desaparecimento” de presos políticos?
Obra de historiador, livro obrigatório para quem quer compreender o Brasil, uma síntese brilhante.



Olá pessoal,

No último dia 12/04, aqui em São Paulo, ocorreu a Sessão Intrínseca com blogueiros e livreiros. E só posso dizer que foi muito bom.

Eles falaram um pouco dos livros já lançados, como "Mitologia Nórdica" de Neil Gaiman, lançado em 13/03 e da coleção do autor na Editora. Li dois livros do Gaiman e posso dizer que são sensacionais. Esse eu já coloquei na minha lista.


"Matéria Escura" de Blake Crouch é uma aposta da Editora, com um toque de ficção científica, o livro fala sobre escolhas, e você pode se surpreender.

Outro título que é uma aposta interessante da Editora é o "Quem era ela" de JP Delaney. Um romance misturado com suspense que fará você se surpreender com Jane, que passará por um momento difícil e quer mudar radicalmente sua vida. Esse foi um livro que ganhamos no Kit e fiquei bem empolgada para ler.

"Black Mad Wheel" de Josh Malernan, autor de Caixa de Pássaros está com esse livro que será lançado aqui no Brasil em Julho. Piano Vermelho é um suspense que fará os fãs desse autor vibrar com tanto suspense.

"Apenas uma Garota" de Meredith Russo está previsto para ser lançado em Junho e já promete muito. Retrata a fala de uma garota transgênero que precisa entender primeiro como é esse mundo e no fim ela só quer ser feliz como qualquer outra garota. Um livro que vai fazer quebrar muitos paradigmas e gerar uma reflexão referente ao tema.

"Pequenas Grandes Mentiras" de Liane Moriarty também é aquela autora que promete vir com tudo. O livro foi relançado com a capa da série lançada pela HBO e que tem o mesmo nome do título original inglês Big Little Lies. Confesso que fiquei super curiosa, tanto com a série como com o livro.

E uma notícia inesperada me fez vibrar. Vocês sabem que sou Jojo lovers, pois então, a autora virá para o Brasil, uhulllll e eu já fiquei super ansiosa. Ela virá em um evento na Saraiva, nos dia 08 e 09 de maio no Rio de Janeiro e São Paulo. Nos dias serão distribuídos senhas. Então preparem-se e programem-se para esse mega evento.
Outra notícia da Jojo é que teremos uma continuação de Depois de Você, em 2018. Ficou feliz? Eu fiquei super feliz hehehe.

"Somos Guerreiras" de Glennon Doyle Melton é um livro de memórias. A Glen passou por muitas coisas, ela não se aceitava por ser gordinha, e isso a afetou de tal forma, que já na infância começou a vomitar. A bulimia começou a fazer de sua vida e ela vai retratando tudo o que acontece com ela desde então. Um livro sobre reviravolta, sobre a força da mulher e sobretudo sobre a garra. Eu fiquei super curiosa e já comecei a ler, vem ler também.

"O Projeto Desfazer" de Michael Lewis lança em 23/05. 

"Breve história de sete Assassinatos" de Marlon James é uma obra de ficção que explora esse período instável na história da Jamaica e vai muito além. Um romance épico que vai fazer a gente se impressionar. E ele será lançado em 6 de julho, então vamos aguardar, porque promete. 

O terceiro e último livro da série de Lara Jean será lançado em 24 de maio e promete o mesmo sucesso. "Agora e para Sempre, Lara Jean" de Jenny Han fala de uma nova fase de Lara. Ela está mais experiente e um pouco mais velha e terá alguns dilemas para enfrentar. Essa série é sucesso de vendas e fará seus fãs ficarem tristes com o fim. Vamos aguardar esse super lançamento. 

Foi uma sessão extensa, mas com grandes lançamentos e até mesmo livros que foram lançados nesse primeiro trimestre. O evento foi bem organizado e no final ganhamos um kit lindo. Eu só tenho a agradecer a editora pelo carinho para com os livreiros e blogueiros. 

Kit do Evento


Eu adorei o evento e aguardo o próximo com uma certa ansiedade!