13 de maio de 2021

{Resenha} Como seduzir um Conde

Hoje a resenha é sobre o livro "Como seduzir um Conde" de Michaelly Amorim. 

Foto retirada de Arquivo Pessoal

Esse é o primeiro livro da série Amores Indecentes e não tem como não se apaixonar por esse romance de época nacional. 

E nossa protagonista é Elizabeth, uma jovem que não é tão sonhadora, ama a leitura e só se casa, se for por amor, assim como os pais. Lizzie, como é carinhosamente chamada pelo pai, ao procurar um livro na biblioteca de seu pai encontrou um diário de uma cortesã. E assim, entre a curiosidade e o escândalo, Lizzie lê o diário, nem se dando conta de que precisará dele para alcançar um objetivo muito importante e que fará ela tomar decisões que não gostaria. 

Assim, quando é convidada pela Condessa de Dorset a passar uns dias em Londres, junto com seu sobrinho, Conde de Dorset, Lizzie fica empolgada, pois apesar de já conhecer Daniel, e ter uma quedinha por ele, sabe que o homem ainda está conectado com o seu passado. 

E a leitura avança, através de uma escrita fluida e leve, conhecemos uma mocinha que é diferente de todas as mulheres de sua época. Elizabeth é educada e firme no seu propósito. Não se deixa enganar e se iludir por qualquer conversinha e ao mesmo tempo, tem uma língua afiada, que deixará o conde de cabelo em pé. 

Foto retirada de Arquivo Pessoal

Daniel, o Conde de Dorset, é arrogante e prepotente. Um homem que acha que tem todas as mulheres aos seus pés, mas que por ter sofrido uma grande desilusão amorosa, se apaixonar não está nos seus planos, até que uma jovem dama, o fará repensar sobre isso. 

Eu só posso dizer, que quando peguei essa dica de leitura em um instagram literário, fiquei apaixonada. Com uma linguagem leve e muito fluida, Michaelly não fica enrolando, até os protagonistas se encontrarem. Um romance de época que fará você suspirar por cada página. Eu adorei todos os personagens, li o livro em uma sentada no final de semana e simplesmente me apaixonei. Já quero ler todos da continuação. Então, você está esperando o que para ler esse romance, que te fará suspirar?

Vem embarcar comigo nessa leitura. 

Onde ComprarAmazon

Título: Como seduzir um Conde
Autor: Michaelly Amorim
Editora: Freya Editora
Páginas: 221

Sinopse: Elizabeth cresceu em um lar amoroso e jurou casar-se apenas por amor, assim como seus pais. Um dia, ela encontra o diário de uma cortesã e, curiosa, começa a lê-lo. Completamente inocente na leitura, aprende alguns truques de sedução que nunca imaginou poder usá-los no futuro.Mas, ao ver-se obrigada a proteger a herança de seus irmãos, Elizabeth inicia um plano arriscado e que vai contra seus princípios. Ela decide seduzir um homem arisco e desconfiado, que acredita que todas as mulheres são interesseiras devido à traição de sua noiva: O Conde de Dorset

5 de maio de 2021

{Resenha} Teto para dois

Hoje a resenha é sobre o livro "Teto para dois" de Beth O'Leary.

Foto retirada de Arquivo Pessoal

Quando eu comprei esse livro, não imaginei que a leitura renderia tanto que o leria em um final de semana. 

Tiffy e Leon nunca se viram, mas a partir do momento que Tiffy precisa sair da casa do ex, aceita a proposta de Leon que é dormir na mesma cama a noite, enquanto ele está trabalhando. E de dia, enquanto Tiffy está no trabalho, ele dorme na cama. 

Só que vocês concordam que eles precisavam resolver coisas relacionadas ao apartamento, mas ficava difícil não se encontrava nunca. Até que ela deixou o primeiro recado no post-it e nunca mais parou. 

Tiffy é desorganizada, muito extrovertida, extremamente alta e feliz. Uma mulher que usa umas roupas que chamam a atenção, mas que é insegura e por ter vivido um relacionamento abusivo, ainda não acredita que pode ser feliz. 

Foto retirada de Arquivo Pessoal

Leon é o oposto da nossa protagonista, introvertido, trabalha a noite em um Residencial de Idosos em cuidados paliativos. Leon é enfermeiro e ama o seu trabalho, mas ele tem um pouco de fobia social. E o fato de se comunicar com Tiffy, o transforma.

A dinâmica dos dois é muito interessante. Eu amei acompanhar a conversa por recados, acho que eu ficaria ansiosa, na verdade, porque você imagina chegar em casa e fazer uma pergunta, e a resposta ser respondida só no outro dia? Pois é, e isso que faz a leitura ficar mais interessante e divertida. 

O que eu senti um pouco de falta foi o aprofundamento dos personagens secundários. Não tem como não se apaixonar pelo irmão de Leon, pelos amigos de Tiffy e querer matar o seu ex-namorado abusivo. 

A temática abordada também te remete a repensar os seus relacionamentos e as suas amizades. Afinal a gente as vezes precisa de uma sacudida, não é mesmo? Para entender, que aquele relacionamento é disfuncional ou aquela amizade não vale a pena. 

Os dois protagonistas juntos é muito fofo, não tem como não shippar esse casal. Eu li o livro super rápido, em um final de semana, e já me apaixonei, tanto pela a escrita quanto pela evolução da relação de Leon e Tiffy. 

Foto retirada de Arquivo Pessoal

Agora, se você, assim como eu, demorou para ler esse livro. Tá esperando o quê? Sério, não tem como não se apaixonar pela escrita da Beth! Vem, você não vai se arrepender. 

Onde ComprarAmazon

Título: Teto para dois
Autor: Beth O'Leary
Editora: Intrinseca
Páginas: 400

Sinopse: Eles dividem um apartamento com uma cama só. Ele dorme de dia, ela, à noite. Os dois nunca se encontraram, mas estão prestes a descobrir que, para se sentir em casa, às vezes é preciso jogar as regras pela janela.
Três meses após o término do seu relacionamento, Tiffy finalmente sai do apartamento do ex-namorado. Agora ela precisa para ontem de um lugar barato para morar. Contrariando os amigos, ela topa um acordo bastante inusitado.
Leon está enrolado com questões financeiras e tem uma ideia pouco convencional para arranjar dinheiro rápido: sublocar seu apartamento, onde fica apenas no período da manhã e da tarde nos dias úteis, já que passa os finais de semana com a namorada e trabalha como enfermeiro no turno da noite. Só que tem um detalhe importante: o lugar tem apenas uma cama.
Sem nunca terem se encontrado pessoalmente, Leon e Tiffy fecham um contrato de seis meses e passam a resolver as trivialidades do dia a dia por Post-its espalhados pela casa. Mas será que essa solução aparentemente perfeita resiste a um ex-namorado obsessivo, uma namorada ciumenta, um irmão encrencado, dois empregos exigentes e alguns amigos superprotetores?

25 de abril de 2021

{Resenha} Uma Terra Prometida

 Hoje a resenha é sobre o livro "Uma terra prometida" de Barack Obama. 

Foto retirada de Arquivo Pessoal

Confesso que quando recebi esse livro, surtei. Vocês sabem que eu amo ler biografias e memórias e ter o imenso prazer de ler como foi a vida de Obama até ele chegar na presidência de um país extremamente racista, sendo o primeiro negro a governar uma das maiores nações do mundo, me deixou em êxtase.

Obama nasceu no Havaí, sua mãe era filha única e visionária, já conversava com o filho sobre as questões do mundo e acreditava que ele precisava estudar e ler. E o hábito da leitura ficou, como era um desejo de sua mãe. 

Foto retirada de Arquivo Pessoal

A família deu duro para que ele estudasse em uma escola na Indonésia e depois fizesse curso preparatório para ingressar em uma faculdade. E Obama não decepcionou, cursou Ciência Política pela Universidade da Columbia e Direito em Harvard. Depois de formado, Obama queria trabalhar com as causas sociais, e foi em um escritório que conheceu Michelle, com quem se casaria mais pra frente. 

Na faculdade, Obama era obstinado, ficava estudando e na maioria das vezes em seu quarto com o cigarro aceso. Essa parte do cigarro fiquei meio chocada, porque não sabia que ele fumava. 

Começou a namorar com Michelle e quando já estava dando aulas na Faculdade de Columbia, pensou em se candidatar no Senado de Illinois. Ele ficou no cargo por três mandatos, até que em 2004 sua vida mudaria da água para o vinho. 

As prévias da candidatura a presidência foi bem concorrido e difícil para Obama. O partido Democrata deu um voto de crédito para o candidato, porque ele era diferente, já nas suas posições no Senado. A briga ficou acirrada entre Hillary e ele, mas no fim, ele se tornou o candidato que concorreria a Presidência daquele ano. 

Foto retirada de Arquivo Pessoal

A medida que tenta equilibrar as viagens rumo a candidatura, Obama também tem que alinhar com a sua companheira, como será, caso vença. Michelle estava cansada, pois as prévias foram bem cansativas para o casal com duas filhas pequenas, mas a medida que sua popularidade crescia, Obama viu um maneira de equiparar o seu protagonismo na política e a vida em casa. 

O livro é de uma maneira um apanhado de todos os momentos de Obama, na sua carreira como advogado até se tornar o 44° Presidente dos Estados Unidos da América. Ler a sua história, me fez viajar no tempo e pensar o quanto desejei para que isso acontecesse. Foi muito emocionante, daqui do Brasil, a gente torcer pelo primeiro presidente negro da história dos EUA. Eu comecei a ver o mundo com outros olhos, até 2016. 

O livro é bem detalhado, Obama é bem descritivo em muitas partes, nos faz viajar pelo mundo com ele, nas lutas para exterminar os atentados terroristas, até a assinar um acordo para melhorar o clima mundial. 

Foto retirada de Arquivo Pessoal

Eu fiquei bem tocada, do quanto ele trabalhou para melhorar o país, assim como tantos outros que tentaram também e não só nos EUA, como no mundo. E, como é difícil, tentar agradar a todos, sabendo que no fim, o ser humano é insatisfeito por natureza. As brigas políticas, as fake news vindos de Donald Trump, fizeram com que Obama fosse questionado em relação a sua cidadania, coisa que não aconteceu com outros presidentes brancos. 

É impressionante também o fato do racismo estar incutido nas pequenas coisas que ele passa e como isso pode prejudicar algo coletivo, simplesmente porque o homem é afro-americano. E sim, é real, mesmo o cara sendo o homem mais importante do mundo. 

Depois desse livro, dessa leitura tão densa e tão necessária, não tem como falar para vocês não lerem esse livro, porque é simplesmente perfeito. Eu adorei conhecer o início da trajetória do Obama e já estou ansiosa para ler o segundo dessa duologia. Então, vocês estão esperando o que para começar? Vem embarcar nessa américa desconhecida. 

*Livro cedido em parceria com a Editora. 

Onde ComprarGrupo Companhia das Letras e Amazon

Título: Uma terra prometida
Autor: Barack Obama
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 764

Sinopse: Um relato fascinante e profundamente íntimo da história em formação ― feito pelo presidente que nos inspirou a acreditar no poder da democracia.

No comovente e aguardado primeiro volume de suas memórias presidenciais, Barack Obama narra, nas próprias palavras, a história de sua odisseia improvável, desde quando era um jovem em busca de sua identidade até se tornar líder do mundo livre. Com detalhes surpreendentes, ele descreve sua formação política e os momentos marcantes do primeiro mandato de sua presidência histórica -- época de turbulências e transformações drásticas.
Obama conduz os leitores através de uma jornada cativante, das primeiras aspirações políticas à vitória crucial nas primárias de Iowa, na qual se demonstrou a força do ativismo popular, até a noite decisiva de 4 de novembro de 2008, quando foi eleito 44º presidente dos Estados Unidos, o primeiro afro-americano a ocupar o cargo mais alto do país.
Ao refletir sobre a presidência, ele faz uma análise singular e cuidadosa do alcance e das limitações do poder executivo, além de oferecer pontos de vista surpreendentes sobre a dinâmica da política partidária dos Estados Unidos e da diplomacia internacional. Obama leva os leitores para dentro do Salão Oval e da Sala de Situação da Casa Branca, e também em viagens a Moscou, Cairo e Pequim, entre outros lugares. Acompanhamos de perto seus pensamentos enquanto monta o gabinete, enfrenta uma crise financeira global, avalia a verdadeira face de Vladímir Pútin, supera dificuldades que pareciam insuperáveis para aprovar a Lei de Assistência Acessível (Affordable Care Act), bate de frente com generais sobre a estratégia militar dos Estados Unidos no Afeganistão, trata da reforma de Wall Street, reage à devastadora explosão da plataforma petrolífera Deepwater Horizon e autoriza a Operação Lança de Netuno, que culmina com a morte de Osama bin Laden.
Uma terra prometida é extraordinariamente pessoal e introspectivo -- o relato da aposta de um homem na história, da fé de um organizador comunitário posta à prova no palco mundial. Obama fala com sinceridade sobre a situação delicada de concorrer a um cargo eletivo sendo um americano negro, sobre corresponder às expectativas de uma geração inspirada por mensagens de "esperança e mudança" e sobre lidar com os desafios morais das decisões de alto risco. É honesto sobre as forças que se opuseram a ele dentro e fora do país, franco sobre os efeitos da vida na Casa Branca em sua esposa e em suas filhas e audacioso ao confessar suas dúvidas e desilusões. Jamais duvida, porém, de que no grande e incessante experimento americano o progresso é sempre possível.
Brilhantemente escrito e poderoso, este livro demonstra a convicção de Barack Obama de que a democracia não é uma benção divina, mas algo fundado na empatia e no entendimento comum e construído em conjunto, todos os dias.


11 de abril de 2021

{Resenha} O ar que me falta: História de uma curta infância e de uma longa depressão

Hoje a resenha é sobre o livro "O ar que me falta" de Luiz Schwarcz.

Foto retirada de Arquivo Pessoal

Eu acho que nunca li um livro tão rápido como esse de memórias do fundador da Companhia das Letras. Vocês já sabem que eu dificilmente leio uma sinopse, eu encaro a leitura e acabou. Então, não fazia ideia que era sobre o cara que fundou uma das maiores editoras do país, confesso que fiquei em choque. 

Quem gosta de ler memórias, sabe que pode mexer bastante com o leitor. E não é diferente comigo. Eu amo ler biografias, saber o que aquela pessoa fez, como chegou até ali, e confesso que fiquei bem mexida com a leitura desse livro. 

Luiz retrata a sua relação com o pai e como isso pode ter influenciado na sua saúde mental. Vamos conhecer uma criança mais introspectiva, filho único, que sofria a pressão de pais amorosos, mas que justificavam todas as crises e frustações do casal na criança. 

Os pais do nosso protagonista foram sobreviventes do holocausto. O avó de Luiz estava no trem com seu pai, indo em direção as câmaras de gás, quando o avó em um insight, empurrou o menino trem afora, ainda em movimento. Láios se salvou, passou por vários perrengues e sofrimentos, até chegar aqui. 

Láios frequentava a comunidade húngara, o Clube hebraico e a sinagoga no bairro de Higienópolis, no centro de São Paulo. Ele conheceu Mirta e se casou. Em uma relação conflituosa, após várias brigas, chegaram a se separar, quando o Luiz ainda era criança e retomaram o casamento um tempo depois. Ainda adolescente, Luiz chegou a fazer terapia por seus pais acharem que ele estaria deprimido, e foi assim até a fase adulta. 

Foto retirada de Arquivo Pessoal

Em muitos momentos, Luiz fala sobre a sua depressão e como isso impactou no seu convívio social e emocional. O que o ajudou bastante foi o apoio da família, sua esposa Lilia Schwarcz e seus filhos Pedro e Julia. Além da depressão, Luiz foi diagnosticado com Bipolaridade e após a passagem por vários psiquiatras e uma internação, hoje se sente bem e estável. E ele credita essa melhora a esposa, que sempre esteve ao seu lado, o apoiando e acolhendo em momentos de crise. 

Lidar com uma doença mental não é fácil, para a pessoa que está em sofrimento e todos ao seu redor. E o nosso autor foi bem sincero e verdadeiro ao relatar suas memórias, importante dizer que ele conseguiu ter acesso ao tratamento correto e pessoas ao seu lado para o auxiliarem, as vezes isso pode não acontecer. O relato do Luiz é singelo, puro e de uma carga emocional bem grande. Eu fiquei bem tocada com a sua biografia, o tanto que ele conquistou e o tanto que teve que transpor para ter coragem de chegar até aqui e assumir a sua doença, de uma forma clara e elucidativa. 

Foto retirada de Arquivo Pessoal

E todos sabemos como uma doença mental é ainda muito estigmatizada e ter esse relato é super importante para uma sociedade que não está preparada para lidar com pessoas com algum transtorno mental. Desmistificar a doença e trazer um novo olhar é super importante para o momento atual da saúde mental no país.

Eu amei o livro, amei a leitura. Acredito que não é uma leitura leve, mas é muito necessária. Se você não for muito fã de memórias, dê uma chance, você irá se surpreender. 

*Livro cedido em parceria com a Editora. 

Onde ComprarGrupo Companhia das Letras e Amazon

Título: O ar que me falta: História de uma curta infância e de uma longa depressão
Autor: Luiz Schuwarcz
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 200

Sinopse: Um sensível relato sobre família, culpa e depressão.
Luiz Schwarcz carrega consigo a história de uma família que abandonou tudo para fugir ao terror nazista: o pai, húngaro, conseguiu escapar, sozinho, de um trem a caminho do campo de extermínio de Bergen-Belsen, deixando Láios, seu pai, no vagão que acabou por levá-lo à morte; a mãe, croata, teve de decorar aos três anos um novo nome, falso, para embarcar com a família num périplo que os levou primeiro à Itália e depois ao outro lado do Atlântico. Os dois, André e Mirta, se encontraram no Brasil, com as lembranças dolorosas do passado trágico a pesarem sobre a nova vida.
Filho único, Luiz, ainda jovem, entendeu ser responsável por expurgar as culpas que André carregava por não ter podido evitar o fim extremo do próprio pai ― avô do autor ―, e se via como o elo a manter estável o casamento de André e Mirta, união cheia de silêncio, dor e incompatibilidade. Assumir esse papel, porém, será a fonte de angústias que o acompanharão ao longo de toda a infância, adolescência e vida adulta.
Ao recuperar com franqueza estas memórias, Luiz Schwarcz constrói um sensível e detalhado relato de como a depressão e os traumas, próprios e de terceiros, podem tirar o fôlego de qualquer um e permanecer latentes em existências por fora marcadas pela aparência do sucesso.

4 de abril de 2021

{Resenha} Heroínas Negras Brasileiras em 15 cordéis

 Hoje a resenha é sobre o livro "Heroínas Negras Brasileiras em 15 cordéis" de Jarid Arraes.

Foto retirada de Arquivo Pessoal

Quando eu recebi esse livro da Companhia das Letras, em uma campanha para incentivar outras mulheres a ler mulheres, fiquei super feliz. Primeiro porque sempre ouvi falar muito bem da Jarid e segundo que folheando o livro, já vi mulheres que li em outros livros e simplesmente fiquei apaixonada. 

O livro retrata a vida de 15 mulheres negras, importantes para a história do Brasil, com histórias que irão fazer você se arrepiar através do relato de Jarid.  

Foto retirada de Arquivo Pessoal

Jarid traz os cordéis de uma forma tão linda que não tem como não se emocionar com a sua escrita e não tem como não ir pesquisar a história dessas mulheres como: Carolina de Jesus, tão aclamada com o seu Quarto de Despejo; Dandara dos Palmares, a guerreira do quilombola e de Zumbi; Luísa Mahin, a mãe de Luís Gama e quem eu tanto li e me emocionei no livro Um defeito de Cor; Tereza de Benguela; Na Agontimé, que também foi citada no livro Um defeito de Cor e mais 10 lindas histórias que despertará em cada um de vocês o desejo de conhecer mais perto essas lindas mulheres.

Eu não conhecia o trabalho da Jarid, mas só posso dizer que já fiquei fã dessa mulher. 

Foto de Arquivo Pessoal

Que livro mais fofo e mais bem editado. Está com desenhos dentro que faz você suspirar a cada virada de página. Um resgate histórico de mulheres que mudaram a história do período escravocrata no Brasil e a própria. Muitas marcadas pela vinda violenta ao Brasil, muitas que tiveram que fugir para garantir a liberdade, muitas que nem são citadas nos livros de história.

Um livro lindo e bem escrito, que você lê em uma sentada no sofá. Eu indico essa obra belíssima da Jarid de olhos fechados.  

*Livro cedido em parceria com a Editora.


Onde ComprarGrupo Companhia das Letras e Amazon

Título: Heroínas Negras Brasileiras em 15 cordéis
Autor: Jarid Arraes
Editora: Seguinte
Páginas: 176

Sinopse: Talvez você já tenha ouvido falar de Dandara e Carolina Maria de Jesus. Mas e Eva Maria do Bonsucesso? Luisa Mahin? Na Agontimé? Tia Ciata? Essas (e tantas outras) mulheres negras foram verdadeiras heroínas brasileiras, mas pouco se fala delas, seja na escola ou nos meios de comunicação. Diante desse apagamento, há anos a escritora Jarid Arraes tem se dedicado a recuperar -- e recontar -- suas histórias.
O resultado é uma coleção de cordéis que resgata a memória dessas personagens, que lutaram pela sua liberdade e seus direitos, reivindicaram seu espaço na política e nas artes, levantaram sua voz contra a injustiça e a opressão. A multiplicidade de histórias revela as mais diversas estratégias de sobrevivência e resistência, seja na linha de frente -- como Tereza de Benguela, que liderou o quilombo de Quariterê -- ou pelas brechas -- como a quituteira Luisa Mahin, que transmitia bilhetes secretos durante a Revolta dos Malês.
Este livro reúne quinze dessas histórias impressionantes, ilustradas por Gabriela Pires. Agora, cabe a você conhecê-las, espalhá-las, celebrá-las. Para que as próximas gerações possam crescer com seu próprio panteão de heroínas negras brasileiras.
Conheça a história de: Antonieta de Barros - Aqualtune - Carolina Maria de Jesus - Dandara - Esperança Garcia - Eva Maria do Bonsucesso - Laudelina de Campos - Luisa Mahin - Maria Felipa - Maria Firmina - Mariana Crioula - Na Agontimé - Tereza de Benguela - Tia Ciata - Zacimba Gaba.
/

© Copyright 2017 - Embarcando na Leitura. Todos os direitos reservados