13 de dezembro de 2018

{Resenha} O Diário de Myriam

Hoje a resenha é sobre o livro "O Diário de Myriam" de Myriam Rawick e Philippe Lobjois.

Eu comprei esse livro e demorei um pouco para ler, em parte porque se tratava do relato de uma menina que viveu em meio a uma guerra e em parte porque sempre arrumava um pretexto para não enfrentar essa leitura.

Myriam teve a sua infância e sua adolescência roubada, não por que ela quis, mas porquê não teve escolha.
"Foi ali, pela primeira vez, que entendi o que significava a guerra. A guerra era minha infância destruída sob essas ruínas e fechada em uma caixinha." 
As manifestações contra o presidente Bashar al-Assad começaram em 2011 e Myriam estava com 6 anos. Sua mãe deu um diário para que ela registra-se as coisas que visse e não esquecesse, só que com o passar dos anos, ficou muito difícil de esquecer as bombas e as mortes que a rodearam. 

A Guerra da Síria iniciou com as primeiras manifestações ao sul de Derra em favor da democracia. A população se revoltou contra a prisão de adolescentes que escreveram palavras revolucionárias nas paredes de uma escola. Em resposta, o governo ordenou as forças de segurança que atirassem contra os manifestantes causando muitas mortes. A populaçãÈo se revoltou contra a repressão e exigiu a renúncia do presidente. 

Myriam narra, ao longo dos anos, os momentos que ela queria ir para a escola, mas começou a se tornar perigoso, mudança de bairro para tentar fugir das bombas e atentados, e restrição de alimento. 
"Quando a gente abre as janelas, não tem um barulho de vida sequer. Não existem flores, não existem cores e até os pássaros já nos deixaram."
O desespero vivenciado pela criança nos faz pensar o quanto o ser humano é cruel e até beira a irracional. Milhões de pessoas morreram. Pessoas inocentes que não tinham nada a ver vieram a falecer, as brigas continuam até hoje. E apesar de terem saído da região onde Myriam vive hoje, ela sente na vida o que a guerra causou a ela, enquanto criança e adolescente. São marcas profundas de dias sombrios que ela vai guardar na memória e que preferia esquecer. 

A leitura do livro me fez sentir o quão suscetíveis estamos aos conflitos e que não podemos ter medo de resistir. Pela Myriam e tantas outras crianças que tiveram suas infâncias ceifadas pela guerra, a violência e a perda de tantos entes queridos. O livro é um tapa na nossa cara e o olhar da criança que vai crescendo e se tornando mulher nos faz entender que cada momento é valioso e ter empatia por tantas pessoas que sofreram e ainda sofrem por essa zona de conflito. 

É uma leitura carregada de tristeza e ao mesmo tempo de esperança e de que podemos acreditar que dias melhores virão. 

Vem embarcar comigo nessa leitura que fará seus olhos marejarem.

A menina Myriam registrou as experiências da guerra civil nos escombros de Aleppo. — Foto: Divulgação/F. Thomas
Foto retirada da internet. Fonte:https://g1.globo.com/pop-arte/noticia/o-diario-de-myriam-conheca-livro-da-menina-siria-que-registrou-a-guerra-civil.ghtml

Título: O diário de Myriam
Autor: Myriam Rawick e Philippe Lobjois
Editora: DarkSide Books
Páginas: 320
Sinopse: De um lado, uma menina judia que passou anos escondida no Anexo Secreto tentando sobreviver à guerra de Hitler. De outro, uma garota síria que sonha ser astrônoma e vê seu mundo girar após a eclosão de um conflito que ela nem mesmo compreende. Mesmo separadas por mais de setenta anos, Anne Frank e Myriam Rawick têm um elo comum: ambas são símbolos de esperança e resistência contra os horrores de um país em guerra e acreditam no poder das palavras.

O Diário de Myriam é um registro comovente e verdadeiro sobre a Guerra Civil Síria. Escrito em colaboração com o jornalista francês Philippe Lobjois, que trabalhou ao lado de Myriam para enriquecer as memórias que ela coletou em seu diário, o livro descortina o cotidiano de uma comunidade de minoria cristã que sofre com o conflito através dos olhos de uma menina. 

Assim como acompanhamos a Segunda Guerra Mundial pelos olhos da pequena Ada em A Guerra que Salvou a Minha Vida e A Guerra que Me Ensinou a Viver, O Diário de Myriam apresenta a perspectiva de uma menina que teve sua infância roubada ao crescer rodeada pelo sofrimento provocado pela Guerra da Síria, iniciada em 2011. Myriam começou a registrar seu cotidiano após sugestão da mãe, que propôs que ela contasse tudo aquilo que viveu para, um dia, poder se lembrar de tudo o que aconteceu. 

Escrito entre novembro de 2011 a dezembro de 2016, o diário alterna entre as doces memórias do passado na cidade de Alepo e os dias carregados de incertezas e dolorido. E é com a sensibilidade de uma autêntica contadora de histórias que ela narra a preocupação crescente de seus pais com as manifestações contra a repressão, o sequestro de seu primo pelo governo, as notícias na televisão, as pinturas revolucionárias nos muros da escola e, por fim, os bombardeios que destroem tudo aquilo que ela conhecia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

/

© Copyright 2017 - Embarcando na Leitura. Todos os direitos reservados