10 de abril de 2017

{Resenha} A Guerra que salvou a minha vida

Hoje a resenha é sobre o livro "A Guerra que Salvou a minha Vida" de Kimberly Bradley.

Eu comprei esse livro ainda na Pré-Venda porque gostei bastante do contexto dele. Fazendo parte da linha DarkLove da Editora DarkSide Books, ele veio para chamar a atenção, encantar e ao mesmo tempo fazer uma reflexão a cerca de um momento difícil na vida de uma criança que passa por uma guerra e ao mesmo tempo tem que enfrentar uma "guerra" dentro de casa. 
 

Ada é uma menina de 10 anos que vive com o irmão Jamie e a mãe. Ela tem o pé-torto congênito e isso faz com que sua mãe a mantenha presa dentro de casa. Olhando o mundo através de uma janela, Ada sonha em poder ter contato com as pessoas, agora que seu irmão irá para a Escola e ela permanecerá mais tempo sozinha. 

O que Ada não imagina, é que a Segunda Guerra Mundial que assola o mundo, está chegando também em Londres e as crianças acabam sendo enviadas para o interior para tentar se proteger dos perigos que uma guerra causa. Ela e o irmão vão juntos para a casa de Susan Smith, uma moça que mora em uma casa, tem um pônei e que vive um momento de Luto pela perda de uma pessoa muito próxima. 

Ada acaba se afeiçoando muito ao Manteiga (pônei de Susan) e essa amizade é linda de se ver no livro. Susan, apesar de não ter jeito com crianças, acaba cuidando dos dois irmãos, e com muito cuidado e carinho transpõe as barreiras e traumas psicológicos que Ada e Jamie apresentam. Ada sofre desde o nascimento com a violência verbal, física e psicológica da mãe. Ela não se acha digna de ter as coisas, de fazer as coisas, porque carrega na alma os traumas da violência. 

Kimberly de uma maneira única e linda aborda um tema tão pesado e tão difícil de uma maneira leve e ao mesmo tempo que faz você, leitor, se apaixonar e querer aninhar a Ada nos braços e dizer que vai ficar tudo bem. Foi esse o sentimento que tive, de querer cuidar dessa criança que, mesmo acontecendo uma guerra, Hitler vindo com tudo na Europa, ela vê nisso uma forma de encontrar a felicidade que estava escondida e quase perdida, devido a todos os anos sofrendo a violência da própria mãe. 

Pessoal, sério, eu amei o livro. Ele retrata muita coisa sobre as lutas e a dureza que uma pessoa com deficiência passa e tem que enfrentar para conseguir ser aceita, se aceitar como pessoa e não ser tachada de inválido e anormal. A autora consegue transmitir através dos personagens, os sentimentos e medos de cada um. Eu gostei bastante da Susan, ela é uma mulher forte, que sabe lidar com as angústias das duas crianças de uma maneira doce e ao mesmo tempo firme. E das crianças não tenho nem o que falar. Ada é uma criança muito madura, para o seu tempo, porque apesar do vendaval de sentimentos que a assola, ela consegue transbordar carinho e muito amor pelo seu irmão e todos a sua volta. 

E para deixar os nossos corações felizes, a continuação desse lidinho, com o título em inglês de "The War I Finally Won" tem data prevista para ser lançada nos Estados Unidos em outubro desse ano. Agora o que nos resta é implorar a DarkSide que compre os seus direitos e publique a continuação também. Vamos torcer e quem tem Twitter pode já ir pedindo no da Editora 😉.

Eu poderia ficar aqui escrevendo horas sobre o livro, porque ele é de uma doçura e uma beleza tão grandes, que vai fazer você terminar de ler e colocar na lista de releitura. Então, por favor, vão ler, sério. Esse livro tem que ser lido por todos e depois venham me falar se eu não estava certa!

Embarquem nessa guerra que salvou a vida da Ada e irá salvar muitas outras também!


Título: A guerra que salvou a minha vida
Autor: Kimberly Bradley
Editora: DarkSide Books
Páginas: 240
Sinopse: Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando.
Os possíveis bombardeios de Hitler são a oportunidade perfeita para Ada e o caçula Jamie deixarem Londres e partirem para o interior, em busca de uma vida melhor.
Kimberly Brubaker Bradley consegue ir muito além do que se convencionou chamar “história de superação”. Seu livro é um registro emocional e historicamente preciso sobre a Segunda Guerra Mundial. E de como os grandes conflitos armados afetam a vida de milhões de inocentes, mesmo longe dos campos de batalha. No caso da pequena Ada, a guerra começou dentro de casa.
Essa é uma das belas surpresas do livro: mostrar a guerra pelos olhos de uma menina, e não pelo ponto de vista de um soldado, que enfrenta a fome e a necessidade de abandonar seu lar. Assim como a protagonista, milhares de crianças precisaram deixar a família em Londres na esperança de escapar dos horrores dos bombardeios.
Vencedor do Newbery Honor Award, primeiro lugar na lista do New York Times e adotado em diversas escolas nos Estados Unidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


© Copyright 2017 - Embarcando na Leitura. Todos os direitos reservados