2 de junho de 2018

{Resenha} Sombras da Noite

Hoje a resenha é sobre o livro "Sombras da Noite" de Stephen King.

Eu terminei esse livro há um tempo, mas estava pensando realmente se ia ou não resenhá-lo. Primeiro porque não foi um livro que eu me identifiquei muito e segundo porque se tratando de King, sei que serei julgada, haha, então mesmo assim, resolvi escrevi o que achei.

Esse é um livro que é um apanhado de 20 contos e alguns deles serviram de inspiração para alguns filmes famosos, tais como: As crianças do milharal (Colheita Maldita, 1984); O homem do cortador de grama (O passageiro do futuro, 1992); Último turno (A criatura do cemitério, 1990); As vezes eles voltam (As vezes eles voltam, 1991).

O primeiro conto, que é o de abertura, Jerusalém's Lot e a Saideira (um dos últimos contos) tem relação com o livro Salem e confesso que fiquei muito interessada nos outros contos depois desse primeiro. A história gira em torno dos herdeiros da propriedade onde se passa o livro e tem momentos macabros. Fiquei meio chocado ao ler, cheguei a voltar para o livro que li e senti muito medo. 

Os outros contos que gostei foram: Último turno conta a história de homens que estavam tentando terminar o trabalho em um fábrica e se deparam com ratos, muitos, milhares. Ratos que podem ser assustadores e que podem desencadear um medo que desconhecemos; A máquina de passar roupa foi um conto que me surpreendeu, pois a história se passa em um lavanderia industrial e o King de uma forma brilhante faz com o que os personagens e o terror narrado cresça de tal forma, que quando vi, estava com a luz ligada e morrendo de medo; O bicho-papão e as Crianças do Milharal são dois contos que envolvem crianças e sinceramente me remeteu ao pavor que eu tinha quando era criança. O bicho-papão traz a história de um bicho que se esconde atrás do armário e a morte violenta de várias crianças, o que fica como reflexão e até hoje me pego pensando era se o bicho era o pai das crianças ou não. O segundo também retrata de crianças e confesso que fiquei com tanto medo que demorei para retomar o próximo conto. 

Eu juro que tentei gostar de mais contos, me esforcei bastante e demorei um tempo para ler de tão arrastado que foi para mim. 

Eu não sei se não estava inspirada, mas não foi um livro que amei. Confesso que até me decepcionei um pouco. Gostei de alguns contos, mas se falassem para ler de novo, provavelmente não leria. 

Então é isso pessoal. Eu ainda amo o King. E ainda estou no projeto de leitura. Então bora ler o próximo?

Embarque comigo no mundo do terror.


Título: Sombras da noite
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 411
Sinopse: As obras de Stephen King sempre foram fontes inesgotáveis dos cineastas de filmes de terror, comoo canadense David Cronenberg, que levou às telas A Zona Morta em 1994, baseado na obra homônima do escritor americano. Assim também ocorreu com outras histórias do mestre do terror. “As Crianças do Milharal”, por exemplo, conto presente em Sombras da Noite, deu origem ao clássico filme de horror que marcou uma geração: Colheita Maldita, de 1984, dirigido por Fritz Kiersch.Os cenários descritos por Stephen King são familiares e acima de qualquer suspeita — um colégio, uma fábrica, uma lanchonete rodoviária, uma lavanderia, um milharal. Mas no mundo do autor, qualquer lugar pode servir como território sobrenatural. Só é necessária uma hora propícia da noite e a distração das vítimas.
Conhecido por sua habilidade em despertar a adrenalina de modo intenso das primeiras às últimas páginas de seus livros, Stephen King maximiza sua capacidade em prender a atenção dialogando com o próprio leitor e adotando uma postura bastante provocativa, como se vê no trecho introdutório de Sombras da Noite:
“Vamos conversar, você e eu. Vamos conversar sobre o medo. A casa está vazia quando escrevo isto; uma fria chuva de fevereiro cai lá fora. É noite. Às vezes, quando o vento sopra do jeito que está soprando agora, falta luz. Mas por enquanto não está faltando, então vamos conversar muito honestamente sobre o medo. Vamos conversar muito racionalmente sobre chegar às raias da loucura... e talvez cruzar a fronteira. Meu nome é Stephen King.”
Além de “As Crianças do Milharal”, outros quatro contos de King presentes no livro foram adaptados para o cinema: “O Homem do Cortador de Grama” (O Passageiro do Futuro), “A Máquina de Passar Roupa” (Mangler: O Grito de Terror), “Último turno” (A Criatura do Cemitério) e “Às Vezes Eles Voltam” (filme homônimo). Desta forma King inicia esta viagem por vinte contos clássicos que, mais uma vez, reafirmam este americano como o mais prolífico e talentoso autor do gênero no mundo.

2 comentários:

  1. Ahh eu fico meio na dúvida de ler King todo mundo gosta muito, mas eu não li contos ainda é não conhecia esse livro. Eu não sei se iria me acostumar, posso tentar .Rs
    Gostei da sua sinceridade e o seu jeito de levar, de não desistir do "cara" hahaha
    Beijos .💜

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. King é muito bom, vale a pena tentar Rachel. É que esse aí, foi bem cansativo! hehehe

      Excluir

/

© Copyright 2017 - Embarcando na Leitura. Todos os direitos reservados