23 de maio de 2018

{Resenha} A livraria dos finais felizes

Hoje a resenha é sobre o livro "A livraria dos finais felizes" de Katarina Bivald. 

Eu confesso que comprei esse livro porque achei linda a capa e a história. Depois conto o que achei, mas a princípio ele chama sim, a atenção. 

Sara é uma leitora voraz. Proveniente da Suécia, sempre teve a curiosidade de conhecer novas culturas mas sempre lhe faltou coragem. Tinha uma vida pacata até começar a trocar correspondência com Amy, um senhora que também era uma leitora nata, que vivia em uma cidade muito pequena dos Estados Unidos. 

Passou algum tempo, até que Sara tivesse coragem de ir visitar Amy. Só que assim que chegou a cidade se deparou em um velório e não soube como lidar. Isso mesmo, gente, Amy tinha falecido e mesmo assim não chegou sequer a avisar Sara que estava doente. Todos na cidade a acolheram muito bem e a partir daí, Sara com seu jeito doce e ao mesmo tempo introspectivo conseguiu conquistar a afeição e o respeito de todos e inclusive de um sobrinho marrento de Amy, Tom. 

O que eu posso dizer do livro? Acho que faltou um pouco mais de história, explicação e um mulher contexto. Sara chegou a cidade e foi muito bem acolhida por algumas pessoas, ela consegue de alguma forma transpor a barreira da impessoalidade, abre uma livraria na cidade e começa a vender/emprestar os livros de Amy, porém acredito que faltou uma explicação sobre essa amizade. Apesar de elas se comunicarem através de cartas e as cartas estarem no livro, eu acho que faltou algo. 

Outro ponto negativo que observei foram os pares românticos que se formaram e como ficaram sem nexo no fim. Alguns personagens não foram desenvolvidos e ficou faltando um pouco de história para dar liga ao final do livro. 

O que posso dizer é que fiquei sim, bastante decepcionada com a leitura. Eu esperava mais, era um livro muito desejado. Comprei na semana da mulher, peguei uma promoção e arrisquei, mas a leitura não fluiu como eu planejava. Demorei muito para engatar e quando  estava realmente gostando faltavam trinta páginas para acabar. 

O que posso dizer do livro? Leia. Pois a minha opinião pode ser diferente da sua e está tudo bem. Se eu voltaria a ler? Acredito que mais para frente, quem sabe. Nunca podemos dizer nunca. 

Um ponto bem positivo no livro é a parte da paixão de Sara pela Literatura e as citações de autores que conhecemos e gostamos. Isso aquece o meu coração, pois temos algo em comum: a paixão pela leitura. 

Embarque comigo nessa livraria!



Título: A Livraria dos finais felizes
Autor: Katarina Bivald
Editora: Suma de Letras
Páginas: 336
Sinopse: Sara tem 28 anos e nunca saiu da Suécia — a não ser através dos (vários) livros que lê. Quando sua amiga Amy, uma senhora com quem troca livros pelo correio há anos, a convida para visitá-la na cidade de Broken Wheel, Iowa, Sara decide se aventurar. Mas ao chegar lá, descobre que Amy faleceu. Sara se vê desacompanhada na casa da amiga, em uma cidade muito pequena, e começa a pensar que talvez esse não seja o tipo de férias que havia planejado.Com o tempo, Sara descobre que não está sozinha. Nessa cidade isolada e antiga, estão todas as pessoas que ela conheceu através das cartas da amiga: o pobre George, a destemida Grace, a certinha Caroline e Tom, o amado sobrinho de Amy. Logo Sara percebe que Broken Wheel precisa desesperadamente de alguma aventura, um pouquinho de autoajuda e talvez uma pitada de romance. Resumindo: a cidade precisa de uma livraria.

11 de maio de 2018

{Fique Ligado} 5 livros para ler em Maio + Cupom de Desconto

Hoje vamos falar um pouco sobre o Maio Amarelo.

Com o mote “Nós somos o trânsito” o Movimento chega à sua 5ª edição e fomenta na sociedade discussões e atitudes voltadas à necessidade urgente da redução do número de mortes e feridos graves no trânsito. O tema foi discutido com a Associação Nacional de Detrans (AND) e foi apresentado em reunião do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Assim como em 2017, o tema de 2018 propõe o envolvimento direto da sociedade nas ações e propõe uma reflexão sobre uma nova forma de encarar a mobilidade. Trata-se de um estímulo a todos os condutores, seja de caminhões, ônibus, vans, automóveis, motocicletas ou bicicletas, e aos pedestres e passageiros, a optarem por um trânsito mais seguro.

Segue abaixo uma lista de alguns livros para nos concientizar de como é importante essa campanha.

Vem conferir:

1. O milagre da manhã de Hal Erold
Após sofrer um acidente que quase o matou, executivo desenvolveu um programa de desenvolvimento pessoal que vem sendo adotado por milhares de pessoas ao redor do mundo. Autor destina porcentagem dos royalties a instituições de caridade sem fins lucrativos e doa milhares de cópias para organizações e indivíduos que necessitam de inspiração e transformação.
O milagre da manhã

2. Como eu era antes de você de Jojo Moyes
Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vidinha ainda inclui o trabalho como garçonete num café de sua pequena cidade - um emprego que não paga muito, mas ajuda com as despesas - e o namoro com Patrick, um triatleta que não parece muito interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will agora desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais para ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário.
Uma comovente história sobre amor e família, Como eu era antes de você mostra, acima de tudo, a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.
Como Eu Era Antes de Você

3. A história de nós dois de Dani Atkins
Emma tem 27 anos, é linda e inteligente e vive cercada de pessoas que ama. Prestes a se casar com Richard, seu namorado desde a época de escola, ela não poderia estar mais empolgada.
Mas o que deveria ser o momento mais feliz de sua vida de repente vira uma tragédia. Emma sofre um acidente e é salva por um estranho minutos antes que o carro em que ela viajava explodisse. 
Abalada, ela decide adiar o casamento. E nesse meio-tempo descobre segredos que a fazem questionar as pessoas nas quais sempre confiara a ponto de duvidar se deve se casar afinal. 
Para complicar, ela se sente cada vez mais ligada a Jack, o homem que a salvou e que não sai da sua cabeça. Jack é lindo, gentil e divertido, de um jeito diferente de todos que ela já conheceu. Por outro lado, é Richard quem ela sempre amou... 
Uma mulher, dois homens, tantos destinos possíveis. Como essa história vai terminar?
A História de Nós Dois

4. Acidente de Danielle Steel
Trigésimo segundo romance da best-seller Danielle Steel que conta a história de cinco famílias cujas vidas se transformam para sempre a partir de um trágico acidente de carro que envolve seus filhos...
Acidente

5. O acidente de C.L. Taylor
Para os vizinhos e amigos, Susan Jackson parece ter tudo: uma família amorosa, um marido de sucesso e uma belíssima casa. Porém, quando Charlotte, sua filha de 15 anos, se joga na frente de um ônibus e acaba em coma, Sue se vê forçada a se perguntar se tudo aquilo que a rodeava era verdade. Susan, então, arrisca tudo para descobrir a verdade, imergindo em um mundo sinistro que ela não imaginava existir — e se obrigando a mergulhar nas sombras do seu próprio passado. Quanto mais profunda sua busca, mais o mundo se torna sombrio… e em mais perigo ela se coloca.
O Acidente

Viram quanto livro super interessante, que vão falar sobre acidentes que mudaram as vidas dos protagonistas. E para prestigiar melhor essas leituras vou indicar um site de Cupom de Desconto, vocês poderão adquirir essas maravilhas com um preço acessível, então não tem desculpa, só clicar no link. 

Cupom Válido é um site que reúne promoções e cupons para quem ama descontos, assim como eu! É muito fácil de utilizar: você entra no sita, procura uma loja que deseja, por exemplo a Amazon Brasil, verifica quais cupons estão disponíveis para essa loja nesse momento, copia o cupom. Já na loja, com os produtos em seu carrinho, cole o cupom no campo de cupons de desconto que a loja fornece e Pronto! Existem também descontos diretos que o site dispõe, é só seguir o link deles. Ah, e nem precisa de cadastro para utilizar, viu! Gostou da super dica! Então agora não tem desculpa para não ler os livros indicados. 

Embarque na onda de desconto e curta a sua leitura. 


Fontes: www.maioamarelo.com

9 de maio de 2018

{Resenha} A Bailarina

Hoje a resenha é sobre o livro "A Bailarina" de Katherine York.

A Bailarina
Eu confesso que comecei a ler esse livro porque estava cansada das leituras que andava fazendo e achei que um romance iria cair bem, para pausar um pouco as leituras e me fazer não entrar em ressaca literária. E não é que deu super certo!

Sophie Ripley é uma bailarina linda e talentosa que se vê obrigada a trabalhar como garçonete para pagar suas contas, e vai até as últimas consequências depois que se descobre com uma grave doença. 
E é  neste trabalho que Sophie conhece Ethan Green, um homem misterioso e ao mesmo tempo sexy, que fará de tudo para estar ao lado da nossa protagonista, nem que seja somente por uma noite. 

O livro é um misto de drama com romance. De uma forma clara e ao mesmo tempo muito envolvente, Katherine nos faz viajar pelo mundo da bailarina e do empresário que se aproxima da nossa mocinha por vingança e que se descobre envolvido e ao mesmo tempo com medo desse sentimento devastador. 

Sophie é uma mulher muito talentosa, mas que se vê "velha" para ser protagonista em um solo de balé e fica imensamente feliz em fazer parte do corpo da companhia, mas por uma infelicidade do destino, ela precisa arriscar para conseguir mais dinheiro e se vê obrigada a dançar na boate na qual trabalha como garçonete. Sophie não esperava, que uma grave doença pudesse a tirar dos palcos e consequentemente dos braços de Ethan. 

De uma forma leve esse livro é desenhado e você vai saboreando cada página de um jeito rápido e tranquilo. Eu amei a leitura. Li o livro em dois dias. Estava precisando dessa injeção de ânimo para continuar com as leituras que estava fazendo. 

Então se você está aí, quieto, parado, não sabe o que fazer. Vai ler esse livro fofo e se encante assim como eu com essa delícia de história.


Título: A Bailarina
Autor: Katherine York
Editora: Independente
Páginas: 215
Sinopse: O que você faria se sua vida está em risco?
Sophie Ripley é uma talentosa bailarina que paga as contas como garçonete de uma boate de stripper. Empurrada até as últimas consequências depois de se descobrir doente, ela se torna uma dançarina no local. É lá que ela conhece o sexy e misterioso Ethan Green e se torna mais uma peça do plano de vingança do milionário.

26 de abril de 2018

{Resenha} Augusto e Lea - Um caso de (des)amor em tempos modernos

Hoje a resenha é sobre o livro Augusto e Lea - Um caso de (des)amor em tempos modernos de José Carlos Sebe.

O livro é baseado em um pesquisa na qual o autor fazia parte que transformou em um livro. Só posso dizer que a leitura é viciante.

Augusto é um homem como qualquer outro, filho de nordestinos, cresceu em São Paulo, estudou em bons colégios e fez faculdade, conheceu Lea trabalhando para o pai dela, em sua empresa. Os dois logo começaram a namorar e um tempo depois se casaram. Lea veio de uma família de classe média paulistana, acostumada com a educação que teve, ela sempre foi reservada e viu em Augusto um companheiro.

Os anos foram passando e Lea começou a perceber o afastamento do marido. Eles nunca foram aquele casal mais próximo, sempre conversaram, mas os anos acabaram desgastando a relação e depois de um tempo sem uma relação mais íntima, os dois foram para a casa da fazenda da família e foi lá que Lea foi contaminada pelo HIV, por seu marido.

A história dos dois é narrada através de entrevista. Em um compilado de informações, o autor nos deixa a par dos sentimentos dos envolvidos, filhos, amigos e até empregados da casa onde Lea foi morar logo após casar.

Augusto começou o tratamento de HIV mais rápido, era início do coquetel aqui no Brasil, e assim demorou para ter algum sintoma de doença oportunista. Lea não teve tanta sorte assim e só descobriu depois de ter uma doença oportunista e já estava em um nível mais avançado.

O livro é um misto de choque, entendimento e ao mesmo tempo compaixão. 

O autor, de uma forma clara nos faz viajar por um drama de uma família rica da capital. Uma família em que não se falava sobre amor, sexo e doença sexualmente transmissível. Uma família tradicional que vê seu drama interno ganhar forma e virar um pesadelo, por um deslize, um erro que levou o marido a infectar a esposa, mas não só isso. A doença pode trazer esclarecimentos de todos os lados. A doença pode afastar e aproximar as pessoas e uma doença como essa, que leva a pessoa a definhar aos poucos pode causar diversos sentimentos em todos os seus membros. 

Lea sentia raiva e muito rancor de Augusto. Ao mesmo tempo, Augusto se sentia muito culpado e triste pela ex-mulher. Ao ler o livro nos deparamos com esses sentimentos e pensamentos que são externados por ambos e  podemos ver que isso ainda acontece. O livro me fez rever muitos conceitos e pude, ao mesmo tempo, ter um sentimento de tristeza tanto por essa família, quanto por outras que existiram depois. Infelizmente, isso não é um caso muito comum. 

O que posso dizer sobre o livro? Amei a leitura, amei as análises do autor e só posso dizer que leiam também! Venham embarcar nesse drama familiar que vai te deixar de queixo caído.

*Livro cedido pela Editora em parceria. 

Título: Augusto e Lea - Um caso de (des)amor em tempos modernos
Autor: José Carlos Sebe
Editora: Contexto
Páginas: 176
Sinopse: Fato: uma doença fatal detectada em uma família bem-sucedida da elite paulista. Conseqüências: quebra de uma aparente harmonia familiar e revelações sobre segredos guardados por tantos anos. Forma: depoimento das oito vozes envolvidas na tragédia. O resultado é um livro fascinante e envolvente, fruto de uma história real com sabor de romance. O autor do feito é o historiador José Carlos Sebe B. Meihy, consultor de roteiros de televisão e um dos maiores especialistas em História oral do país. Respeitado por suas pesquisas rigorosas e dono de uma escrita deliciosa, já teve alguns de seus textos usados como apoio para telenovelas. Augusto e Lea: um caso de (des)amor em tempos modernos certamente pode render uma. Das boas.

15 de abril de 2018

{Resenha} Os homens explicam tudo para mim

Hoje a resenha é sobre o livro "Os homens explicam tudo para mim" de Rebecca Solnit.


Eu comprei esse livro por já ter ouvido muito sobre a Rebecca e simplesmente não me decepcionei. 

Jornalista, ativista feminista e autora premiada, Rebecca faz um compilado de vários ensaios, principalmente voltados para o feminismo e ainda a violência contra a mulher de várias formas. No primeiro capítulo do livro, ela relata o fato de um homem indicar o seu livro para ela, não sabendo que Rebecca era a autora, querendo explicar a ela sobre um fato que ela já havia até escrito e dessa maneira a autora nos coloca sobre essa questão do homem querer nos ensinar, não nos deixar falar, tentar sempre ter a razão dos fatos, mesmo as vezes, não sabendo nem muito sobre o assunto, daí surgiu a expressão "mansplaining" (explicação masculina). 

Os 9 ensaios foram realizados entre 2008 e 2014 e podemos identificar que a falta de credibilidade com que as mulheres são tratadas não é somente para tentar silenciar a nossa voz nessa nossa sociedade patriarcal, que muitas vezes culminam na própria violência contra a mulher, tão frequentes em manchetes de jornais, mas também por se acharem sempre na razão dos fatos. 
"...A violência é uma maneira de silenciar as pessoas, de negar-lhes a voz e a credibilidade, de afirmar que o direito de alguém de controlar vale mais do que o direito delas de existir, de viver."
Ao longo da leitura, Rebecca aponta casos de abusos, violência e até mesmo estupros que as mulheres foram silenciadas e que os seus abusadores continuaram por aí, soltos e livres de qualquer acusação, muitas vezes deixando essa mulher "malvista" na sociedade. E é por aí que podemos tentar analisar um pouco como a nossa sociedade ainda nos impõe padrões e como a vítima ainda é vista como culpada. Interessante pensar que esses ensaios foram finalizados há 4 anos e ainda hoje podemos lembrar de diversas situações em que a mulher é tida como a manipuladora, mentirosa e até mesmo culpada por ter sofrido a violência. 


Ainda assim, a autora vê muitos avanços principalmente na cultura de estupro e no quanto nós evoluímos como sociedade. Ainda precisamos avançar muito mais, mas nada de pessimismo. Acreditar que através da nossa fala, da nossa voz, do que acreditamos podemos mudar aos poucos essa sociedade é um passo a frente. 
"Tecer a teia e não ficar presa nela, criar o mundo, criar sua própria vida, governar seu destino, dar nome à sua avó assim como ao seu pai, desenhar redes e não apensa linhas retas, ser alguém que faz, não só alguém que limpa, poder cantar e não ser silenciada, tirar o véu e aparecer: é tudo isso que eu penduro no meu varal."

O livro é rápido de ler, uma leitura que aborda dados importantes e que nos faz refletir sobre todos eles, a escrita é clara e objetiva, então está esperando o que para embarcar nesse mundo.

Eu amei o livro, amei a autora e quero já ler todos os livros que ela tem publicado aqui no Brasil. 


Título: Os homens explicam tudo para mim
Autor: Rebecca Solnit
Editora: Cultrix
Páginas: 208
Sinopse: Em seu ensaio icônico “Os Homens Explicam Tudo para Mim”, Rebecca Solnit foca seu olhar inquisitivo no tema dos direitos da mulher começando por nos contar um episódio cômico: um homem passou uma festa inteira falando de um livro que “ela deveria ler”, sem lhe dar chance de dizer que, na verdade, ela era a autora. A partir dessa situação, Rebecca vai debater o termo mansplaining, o fenômeno machista de homens assumirem que, independente do assunto, eles possuem mais conhecimento sobre o tema do que as mulheres, insistindo na explicação, quando muitas vezes a mulher tem mais domínio do que o próprio homem. Por meio dos seus melhores textos feministas, ensaios irônicos, indignados, poéticos e irrequietos, as diferentes manifestações de violência contra a mulher, que vão desde silenciamento à agressão física, violência e morte. Os Homens Explicam Tudo para Mim é uma exploração corajosa e incisiva de problemas que uma cultura patriarcal não reconhece, necessariamente, como problemas. Com graça e energia, e numa prosa belíssima e provocativa, Rebecca Solnit demonstra que é tanto uma figura fundamental do movimento feminista atual como uma pensadora radical e generosa


/

© Copyright 2017 - Embarcando na Leitura. Todos os direitos reservados